MAPPA
MAPPA

Share this post

Produtores, agrônomos e técnicos já estão familiarizados com os índices de vegetação gerados com câmeras multiespectrais, como o NDVI e o NDRE – eles estão dentre os mais famosos índices utilizados na agricultura de precisão.

No entanto, para chegar nesses resultados, é preciso utilizar um sensor multiespectral – uma tecnologia que não é tão acessível para grande parte destes profissionais.

Hoje abordaremos os índices IFV e VARI, obtidos com câmera RGB, que é embarcada na maioria dos drones utilizados para o mapeamento. Falaremos também sobre as análises que podem ser feitas a partir deles.

Índice Foliar Verde (IFV) e  Índice Resistente à Atmosfera na Região Visível (VARI)

O Índice Foliar Verde é um índice que se baseia na relação entre a área da folhagem da planta e a superfície do solo por ela ocupada.

Ele é utilizado para diferenciar a cobertura do solo, evidenciando áreas plantadas, áreas com falhas no plantio e solo exposto.

Um IFV pode ser feito a partir de um mapa feito com um drone equipado com câmera RGB e utilizado para realizar análises de cobertura vegetal e de falhas de plantio, para verificar a presença de plantas daninhas e para a geração de shapefiles de aplicação em taxa variável.

Já o Índice Resistente à Atmosfera na Região Visível (VARI) é um índice baseado na variabilidade de vigor e estresse da planta, a partir da sua “quantidade” de verde, ou seja, mensurado em cima do desenvolvimento ou não de uma cultura em uma determinada área.

Um mapa gerado com câmera RGB, com o índice VARI aplicado, vai mostrar áreas com maior ou menor estresse na cultura – apesar de apresentar similaridades com um NDVI, não é um substituto.

Quando devo usar IFV ou VARI?

Os dois índices, IFV e VARI, são indicados para análises que não tenham como objetivo final obter informações sobre a saúde da vegetação – nesses casos, o indicado é o NDVI, por contar com bandas multiespectrais e suas possibilidades de coleta de informações.

Na Mappa, com o uso da ferramenta histograma, ambos os resultados, IFV e VARI, serão visualmente muito parecidos, com o VARI se destacando pela sua menor saturação, o que permite visualizar a transição entre as cores com mais clareza. Veja:

A menor saturação permitirá ao VARI expor com mais nitidez culturas que estejam em um estágio mais avançado do seu desenvolvimento ou de culturas mais densas. Enquanto o IFV pode ser utilizado em culturas mais esparsas ou em fases iniciais do desenvolvimento.

Como gerar mapas com IFV e VARI na plataforma Mappa?

Os dois resultados podem ser atingidos a partir de um voo com um drone portando câmera RGB.

Depois de feito um voo de mapeamento, basta você criar uma conta gratuita na Mappa e solicitar um novo processamento. Nas configurações desse processamento, atente para o campo “Tipo de Processamento” – escolha a opção agrícola.

Veja como fazer isso no vídeo abaixo:

Quais análises podem ser feitas a partir dos índices IFV e VARI?

Utilizando os índices IFV e VARI, o produtor, agrônomo ou técnico pode realizar análises de cobertura vegetal – que também pode ser aplicada em um contexto de estimativa de produtividade, para verificar infestações de plantas daninhas, para identificar focos de erosão na sua propriedade e para a criação de shapefiles de aplicação em taxa variável em alguns casos.

Para validar todas essas possibilidades, navegue pelos mapas demonstrativos e crie os seus próprios mapas durante o seu período de testes!

NAVEGUE PELOS MAPAS DEMONSTRATIVOS

Este conteúdo foi útil?

Leia também