Skip to main content

Os drones mais comercializados nos dias de hoje, até mesmo os que têm preços bem elevados, são direcionados mais para entretenimento e recreação do que para uso profissional. 

E para o melhor aproveitamento para a utilização na fotogrametria, algumas características do equipamento, tanto de software quanto hardware, são indispensáveis para se obter resultados produtivos. Vamos sugerir agora os 4 melhores drones para topografia.

Posso usar qualquer drone para fazer mapeamento?

Uma das dúvidas mais frequentes de quem pretende trabalhar com drones para mapeamento é a escolha do modelo. 

Isso porque, à primeira vista parece que qualquer drone pode ser utilizado para mapear, já que todos podem levantar voo sobre uma área e capturar imagens, não é mesmo? 

Mas a resposta é não! É claro que qualquer drone equipado com uma câmera pode sobrevoar uma região e fazer fotos e vídeos. Porém, para a atividade específica e de qualidade de levantamento topográfico, a maioria dos equipamentos disponíveis no mercado não é recomendada.

Aliás, são pouquíssimos os drones que realmente podem oferecer um resultado fotogramétrico de qualidade. Daí a importância de saber selecionar com precisão o equipamento adequado para sua atividade profissional.

Um dos principais elementos que um drone para mapeamento deve possuir é a compatibilidade com aplicativos de planejamento de missão, como o Drone Harmony, Litchi ou Drone Link. 

Esse alerta é o primeiro que chamamos a atenção. Afinal, são esses apps que irão possibilitar os voos autônomos, responsáveis pela precisão e boa qualidade das imagens.

Adquirir um drone limitado aos aplicativos do fabricante, ou que de alguma maneira  não lhe permita escolher os aplicativos necessários para a realização do mapeamento, é praticamente um investimento perdido.

Os aplicativos de planejamento de voo são importantes para todas as fases do trabalho, desde o plano de voo, passando pela integração com programas para processamento das imagens até a interpretação dos dados obtidos para a criação do projeto adequado.

Se você deseja aprender como fazer operações de voo com drones na prática, o curso online de mapeamento da Mappa pode te ajudar. 

Outros elementos importantes são as características físicas do equipamento que se pretende adquirir para ser adequado ao uso para mapeamento.

Pensando em facilitar a escolha do seu equipamento, a Mappa já destacou 5 dicas de ouro para os iniciantes se atentarem na hora de escolher um drone para uso em mapeamento aéreo.

Tipos de drone e câmeras.

As características físicas mais importantes são o próprio tipo de drone – multirotores ou de asas fixas – que deve ser escolhido de acordo com as necessidades do usuário e suas capacidades.

Como os drones de asa fixa são indicados para atender um grande volume de demanda, cobrir áreas extensas e atingir alta performance, os drones multirotores são os mais indicados para quem tem dúvida de qual equipamento iniciar.

Já em relação à câmera, as mais utilizadas para mapeamento com drones são as com sensores RGB, pois são capazes de gerar boa parte dos resultados necessários.

As câmeras com sensores Multiespectrais também são boas escolhas, pois  permitem uma leitura precisa dos índices de vegetação, como o NDVI e o NDRE, por exemplo.

Atente-se também à resolução da câmera, a partir de 12 megapixels já é possível obter bons resultados, mas nossas indicações possuem equipamento com até 48MP.

Outro ponto de atenção na hora de escolher o drone adequado para fazer o mapeamento é a autonomia da bateria. Esse fator é determinante para a produtividade da operação em campo.

 

Descubra os 4 melhores drones para topografia

Agora que já constatamos que não é qualquer drone que pode ser utilizado com sucesso para se fazer mapeamento, vamos conversar sobre os equipamentos de destaque atualmente disponíveis para esta atividade.

1) Mavic Air 2: 

Apesar de um drone lançado há pouco mais de três anos, ainda se mostra com um equipamento relevante para o uso profissional para mapeamento. Sua bateria possui uma autonomia de aproximadamente 34 minutos de voo, com transmissão de 10 km. 

Mesmo tendo exatamente a mesma bateria do modelo mais novo da Mavic da nossa lista (Air 2s), o tempo de voo do Air 2 ainda é maior, pois além de consumir menos energia que o Air S2, é um pouco mais leve, cerca de 25 gramas a menos. Possui uma câmera com resolução de 48MP e um sensor de meia polegada e faz vídeos em 4k. 

Uma vantagem bem interessante do Air 2 em relação ao Air 2s, é o fato da DJI ter liberado para este modelo o acesso a aplicativos de mapeamento e inspeção automatizada de outras empresas que não os da fabricante.

2) Mavic Air 2s: 

Este drone é chamado pela fabricante apenas como DJI AIR 2S. Apesar de apresentar uma câmera de 20MP, isso não significa uma perda de qualidade na imagem em relação ao Air 2. 

Isso porque vem equipado com um sensor maior (de 1”) em relação ao Air 2, o que gera uma maior captação de luz por pixel, diminuindo o ruído na imagem e aumentando sua qualidade, além de que sua câmera faz vídeos em 5,4K. 

A transmissão de rádio também aumentou para 12 km, ou seja, o sinal está mais forte, o que torna o equipamento menos suscetível a interferências. 

As atualizações na tecnologia deste equipamento em relação ao seu antecessor o tornam uma ótima opção, desde que o aparelho seja liberado para acessar aplicativos além dos que a fabricante disponibiliza.

3) Phantom 4 Pro: Este drone dominou o mercado por muitos anos, tanto para lazer quanto para uso profissional. 

Seu sucesso se deu por conta de uma ótima autonomia de voo – aproximadamente meia hora com uma única carga -, uma câmera com resolução de 20MP e equipada com sensor de obstáculos.

Robusto, pode resistir a ventos de até 36 km/h, e alcançar velocidades de 72 km/h em boas condições.

Apesar da primeira versão já ter saído de linha, é possível adquirir sua versão atual, o Phantom 4 Pro V2.0. É um equipamento que apresenta muita relevância para utilização profissional de mapeamento.

4) Mavic 2 Pro: É um drone que já foi campeão de vendas para utilização de mapeamento. Assim como os outros da nossa lista, é do tipo multirotor e possui autonomia de aproximadamente 30 minutos de voo. É equipado com câmera de resolução de 20MP e detectores de obstáculos. 

Possui ainda sensor CMOS de 1 polegada, tamanho que oferece um ótimo desempenho em ambientes pouco iluminados, com intervalo ISO amplo, de 3200 para 12800. Além disso, grava vídeos 4K HDR de 10 bits.

Assim como seu “irmão” Phantom 4 Pro, está fora de linha, mas ainda pode ser adquirido por aproximadamente R$ 20.000,00. 

mavic-2-pro-melhor-drone-inicante

 

Conclusão

O melhor drone para topografia é o que melhor atenderá às necessidades de cada usuário. No nosso papo de hoje, tratamos de apresentar as principais características que o equipamento deve possuir para alcançar resultados fotogramétricos suficientes para um excelente trabalho.

Vimos que não é qualquer drone que pode ser utilizado para topografia, principalmente por conta das características físicas e de software que os equipamentos para essa finalidade precisam ter.

As máquinas mais recentes desfrutam das vantagens naturais da evolução tecnológica, como o aumento de suas capacidades de voo, de resolução das câmeras e qualidade dos sensores. Mas isso implica no consequente aumento do valor a ser investido para adquiri-los.

Por outro lado, entre nossos destaques de drones que já saíram de linha mas ainda podem ser adquiridos, vimos que ainda são relevantes para a atividade, e podem apresentar resultados de excelência.