Sobreposição de imagens: por que ela é importante?

Quando falamos de mapeamento com drones, diversos conceitos são importantes para compreendermos como são obtidos os resultados e por que os dados extraídos desses mapas são confiáveis. Neste post abordaremos um dos detalhes mais importantes para você ter sucesso no resultado de um processamento de imagens de drones, a sobreposição de imagens!

Por que a sobreposição de imagens é tão importante no mapeamento com drones? #

Como falamos em outro post, existem diferenças entre fotos e mapas de drone: enquanto uma foto vai trazer apenas a informação visual ali contida, o mapa, no processamento das imagens de drones, é ortorretificado e traz os dados georreferenciados da área.

A sobreposição de imagens é peça-chave neste ponto – ela será o elo entre as várias fotos sequenciais feitas pelo drone na hora de amarrar o mapa.

Ao utilizar dados de GPS para conduzir o seu voo automático, o drone registra as informações de posicionamento e altitude em todas as fotos.

Cada foto terá pontos em comum com a foto anterior e com a próxima, permitindo ao algoritmo de processamento triangular a informação contida nesses pontos e “amarrar” as fotos em um ortomosaico.

Veja na prática como funciona:

Cada ponto na imagem representa uma foto do trajeto da missão de mapeamento – perceba que as imagens terão uma área em comum entre si, onde será possível fazer o cruzamento das informações de georreferenciamento – esta é a tal sobreposição de imagens.

Se a sobreposição de imagens não for adequada, suficiente, vão faltar informações comuns entre as fotos, o que pode acarretar em diversos erros no processamento de imagens.

No exemplo abaixo, um clássico problema por falta de sobreposição de imagens – buracos no ortomosaico:

A falta de sobreposição de imagens pode gerar outros problemas, como a quebra o ortomosaicoem blocos e a falta de acurácia em projetos que utilizam Pontos de Controle.

Entendendo o voo de mapeamento com drone – como configurar a sobreposição de imagens ideal #

Uma missão de mapeamento com drone é mais complexa que um simples voo.

Você terá uma área de interesse pré-determinada, como uma lavoura ou um terreno, e o drone fará um voo tirando fotos sequenciais desta área.

Esta missão é realizada em um software ou aplicativo específico, já com os parâmetros necessários definidos.

Durante o voo, o piloto não estará atuando ativamente junto ao controle remoto do drone – somente irá dar o comando de partida para o início da missão e assumirá o controle em caso de alguma emergência.

Porém, apesar de ser um voo guiado pelo GPS do drone, automático, uma configuração errada no seu planejamento de missão pode comprometer todo o trabalho.

Dentre diversos parâmetros a se configurar, a sobreposição de imagens será essencial e impactará diretamente os resultados, como falamos anteriormente – por isso é muito importante respeitar um valor seguro de sobreposição de 80%, a ser configurado no aplicativo planejador de missão.

No exemplo abaixo, a tela de configurações do aplicativo Pix4D Capture. A sobreposição – em inglês, overlap, de acordo com o valor ideal.

 

Atente para a sobreposição nos seus voos e tenha bons resultados: confira 5 dicas para evitar erros no processamento de imagens.

 

Ainda não é assinante? Solicite o seu trial gratuito aqui!